14.9.14

A SOBERANA PROVIDÊNCIA DIVINA EM PRESERVAR A VERDADE ATRAVÉS DOS CREDOS E CONFISSÕES


A SOBERANA PROVIDÊNCIA DIVINA EM PRESERVAR A VERDADE ATRAVÉS DOS CREDOS E CONFISSÕES

E [Cristo] ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores. (Efésios 4:11)

Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina. (Efésios 2:20-21)

O próprio Deus deu a Igreja mestres, -- "ele mesmo deu" (Ef 4.1) -- não qualquer mestre, mas mestres fundamentados nas doutrinas apostólicas. E toda Igreja só pode ser edificada neste fundamento! É Deus quem guia a Igreja a toda verdade, apesar do caos, crises, conflitos e heresias que cercam a verdade em todas as épocas da história.

A organização da Igreja não é um mero arranjo humano, os dons são distribuídos por Deus. O primeiro presente que Deus deu a Igreja foram os apóstolos. Os apóstolos possuíam comissão direta de Cristo. Ele possuíam dons especiais, era necessário que tivessem visto o Senhor e sua "paróquia" era o mundo. Foram um presente maravilhoso de Cristo a Igreja e ao mundo. Assim como os profetas, indispensáveis como guia para a Igreja. Do mesmo modo os evangelistas, pastores e mestres. Comunicadores da vontade de Deus, das boas novas e edificadores da Igreja.

A soberana providência de Deus em preservar a verdade, além de ter dado (ele mesmo!) ofícios à igreja, também deu uma língua de altíssimo nível para preservar esta verdade, a língua grega antiga. De modo semelhante, assim como Deus preservou o Cânon do Antigo Testamento através dos judeus com a língua hebraica, fez também com o Novo Testamento, através dos gregos. A providência divina maravilhosa é que levanta seus guardiões!



Até aqui vale uma reflexão e aplicação, quando os Católicos Romanos acusam os Protestantes de alterarem as heranças canônicas, seja do Antigo Testamento ou até mesmo sobre o que é válido como doutrina pós-apostólica, primeiro terão que se resolver com os pioneiros "guardiões" judeus e com a Igreja Ortodoxa, esta igualmente ao protestantismo, não aceita mais do que sete concílios ecumênicos. Isso demonstra a força de preservação da verdade de Deus e por Deus, em sua Providência.




Outro fator de demonstração clara da providência divina em preservar a verdade é o uso que Deus faz de todo poder governamental terreno. Praticamente todo os credos e confissões de fé obtiveram o favorecimento do Estado. O contrário que muita gente pensa e até despreza, Deus usou o Estado para favorecer a Igreja. De Nicéia (325 DC) a Westminter (1647 DC), apenas para favorecer a compreensão, o Estado favoreceu, investiu, dedicou, apoiou e aprovou muitos documentos importantes da Igreja e para a Igreja! Isto é fato! Se temos tesouros doutrinários em mãos hoje, devemos a providência divina em levantar governantes inclinados a proteger a Igreja!

Voltando aos mestres que Deus deu a Igreja. A Fé histórica e universal, resumida em Credos e Confissões foram geradas por grandes crises doutrinárias e acusações. Cada geração sofreu ataques de heresias diversas, e a providência através dos mestres conduzidos pelo Espírito Santo, os levantou para livrar a Igreja de heresias e fortalecer os crentes de sua geração e gerações posteriores. Além de resolver conflitos urgentes e locais, o resultado da defesa da fé deixou grande herança para toda cristandade. Cada geração tem seus conflitos e crises para resolver, mas sempre deve lembrar que trabalhamos onde outros já trabalharam, nos entramos no trabalho, não somos o que deram início ao trabalho. Como está escrito em João 4.38: "Eu vos enviei a ceifar onde vós não trabalhastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho". Como também exorta o profeta Jeremias:

Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele. Jeremias 6:16.


Os credos e as confissões são as nossas veredas antigas e fruto de trabalho que não trabalhamos! Pela providência são documentos que tiveram sua necessidade específica e local, mas que pelo alto valor do resultado são documentos universais. Os credos possuem além de valor teológico, também valor para as liturgias e ensino de milhares e milhares de cristãos de todas as épocas. O que seriam dos catecismos protestantes, católicos e ortodoxos sem a ferramenta pedagógica dos credos? Não que os credos sejam imprescindíveis como são as Escrituras Sagradas, mas a Providência os colocou como resumos da nossa fé universal extraída das Escrituras!


As defesas da fé realizadas no passado garantiram a unidade da igreja diante inimigos que queriam destruí-la ainda nos primórdios da igreja neo-testamentária. Após a morte dos apóstolos até o século IV a Igreja debateu e combateu muitos inimigos da verdade fundamentada nos apóstolos. E pela providência divina as implicações não eram apenas eclesiásticas, mas políticas. Pois se uma nação ou império fosse dividido religiosamente isso provocaria divisão de um mesmo povo. Não por acaso o imperador Constantino convocou o primeiro Concílio de Nicéia em 325 DC. A providência de Deus é ampla em sua ministração. A herança que temos hoje como documentos confessionais não são apenas resultados eclesiásticos, mas tiveram seu contexto político e histórico importantes.

Quem foram os primeiros mestres defensores da fé ortodoxa? Homens de renome ou homens comuns? É natural em livros de história da Igreja fazer referência aos homens mais destacados como Atanásio, Basílio de Cesaréia, Gregório de Nissa, Gregório de Nazianzo, Cirilo de Alexandria e outros, mas os grandes heróis foram os servos anônimos, bispos, monges e teólogos dos primeiros séculos. Grande quantidade de mestres em diversas igrejas locais, estes garantiram a unidade da igreja pela fé universal dos credos! E um dia todos nós nos encontraremos numa só igreja gloriosa!

Em todas as épocas, e hoje não é diferente, a Igreja tem o dever de provar os espíritos! E como fazer isso sem padrões objetivos de fé? Negar a importância dos credos e confissões de fé bíblicos e fiéis é negar a assistência da providência que Deus dá a sua igreja, e quem pratica esse ato de negar estará necessariamente produzindo seu próprio credo! Quem rejeita herança cristã bíblica e fiel está criando seu próprio credo amaldiçoado! Como deixar de lado credos e confissões comprovadas biblicamente e abraçar credos próprios? Como recusar o que Deus deu a igreja?

Aquele que diz, "abandono todos os credos e confissões de fé, quero apenas Cristo!" Que tipo de Cristo tal pessoa crê? Entenda bem, o ato de CRER implicar ter um CREDO, que significa "creio"; "acredito", eu acredito; confio. O CREDO nada mais é que uma formula de crença religiosa, um conjunto de crenças fundamentais, um principio orientador. E pela Providência de Deus, DOUTRINAS ESSENCIAIS foram preservadas ao longo da história. Os Credos são ferramentas bem projetadas pela providência para preservar a comunicação e transmissão da verdade em qualquer tempo. De nenhum modo pode substituir a Palavra (dos profetas, dos apóstolos, de Cristo), mas derivam da Palavra e estão sujeitas à ela. Credos são declarações de fé, e na medida em que os credos se harmonizam com o que a Escritura ensina transforma-se em autoridade. Essa autoridade quando aceita por uma comunidade serve de orientação e regra, algo muito importante para uma denominação.



Há uma observação atribuída a Spurgeon que é mais ou menos assim [é uma referência aos cristãos que querem ignorar a teologia e doutrinas históricas com a justificativa que o Espírito Santo fala e que eles pregam e ensinam sem precisar de conhecimento teológico prévio e confessional]: "PARECE ESTRANHO QUE CERTOS HOMENS QUE AFIRMAM QUE OS ESPÍRITO SANTO REVELA A ELES NÃO TENHA REVELADO A OUTROS".

Uma das maiores afirmações de fé cristã protestante é que as Escrituras são a única e suficiente regra de fé e prática. Isso significa que TODO ENSINO dever ser estritamente orientado pelas Escrituras. TODO ENSINO inclui os credos e confissões de fé. Os ensinos em conjunto formam um sistema. E a esse sistema chamamos de credo ou confissões. Portanto, um credo ou confissão de fé deve ser um conjunto de grandes doutrinas, que forma um sistema de verdades reveladas e corretamente interpretadas. Um credo ou confissão preservados com linguagem escrita é a forma mais eficaz de preservar as doutrinas e consequentemente instruir a igreja em qualquer época e lugar.


Portanto, valorize mais as boas confissões de fé, não rejeite o que Deus não rejeitou e que milhares e milhares de cristãos em todo mundo e em todas as épocas confessaram!



Raniere Menezes

9.9.14

Todas as quintas-feiras às 22h estaremos compartilhando estudos teológicos com base nos CREDOS E CONFISSÕES DE FÉ

Próxima quinta-feira às 22h estaremos tratando de um tema muito especial: CREDOS E CONFISSÕES -- https://www.youtube.com/watch?v=w7GGgqlz3U4&feature=youtu.be - VC É NOSSO CONVIDADO! -- Link de nossa página: https://www.facebook.com/sigaocaminho


8.9.14

AS CADEIAS DO AMOR SÃO MAIS FORTES DO QUE AS DO MEDO



As cadeias do amor são mais fortes do que as do medo

No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo... 1 João 4:18

Esse título é uma frase de William Gurnall e demonstra a força dessa virtude cristã que é o amor. O medo rouba a paz, o amor a Cristo soma e multiplica a paz. O amor é a mais soberana de todas as virtudes cristãs. O amor não fica questionando por quê... por quê?

Todo aquele que confessa que Jesus é o Filho de Deus, pelo Espírito Santo, Deus permanece nele, e ele em Deus. Nisto consiste o amor. Um amor que confessa e segue as Palavras do Senhor. Cristo habitou entre nós neste mundo por amor ao Pai e ao seu povo escolhido. E este amor é compartilhado aos seus. Todo aquele que ama a Cristo será desaprovado pelo mundo, que rangerá os dentes por observar este amor. Mas não devemos ter medo do mundo!

O amor de Cristo em nós nos livra dos medos. Aqueles que amam a Cristo não devem temer o Dia do Juízo. O verdadeiro amor a Deus traz confiança aos que o amam, pois confiam no amor dEle. E esse amor nos ensina a sofrer por Cristo e com Ele na memória da sua cruz aplicada a nossa peregrinação neste mundo. Como está escrito:

Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; 2 Timóteo 2:12-13

O amor lança fora o medo! Lança fora as dúvidas e angústias. O amor de Deus enviou a sua Palavra para chamar os pecadores para participarem de tão grande salvação. O amor do Pai no Filho é transferido para os corações dos que creem, é o amor do Espírito de adoção! Somos filhos amados pelo Pai! Esse amor é comprovado em amarmos os irmãos.

Quem ama a Deus ama seus irmãos. Se confesso que amo a Deus mas tenho ódio de um irmão esse amor não passa de mentira. A inimizade é natural entre os filhos da trevas contra os filhos de Deus, não é natural irmão odiar irmão. Esse é o ponto central que João nos ensina: Como amar a Deus, que não vemos, e odiar os irmãos que vemos? Essa é a pergunta do apóstolo. Quem odeia seu irmão é como Caim. E amar seus irmãos é uma prova de que se passou da morte para a vida, e não entra em condenação como diz a Palavra.

No amor não há medo. Qualquer que seja o amor, amor a Deus, o amor de Deus no crente, amor aos irmãos. O amor exclui o medo. Quem verdadeiramente ama a Cristo, o seu Evangelho e o seu povo, não deve ter medo de nada! De nada!

O Espírito Santo capacita para que os santos não tenha medo da morte, pelo contrário faz oferecer suas vidas pelos outros:

Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. 1 João 3:16.

O cristão não deve temer o Dia do Juízo, do inferno e da condenação. Esse amor joga fora a angústia (esse é o medo do homem natural!). O que confessa Cristo através do Espírito Santo não tem medo dos homens, do diabo, da morte, do juízo e do inferno!

Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele, e ele em Deus!
E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.
Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo.
No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.
Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro.
1 João 4:15-19

O amor de Deus em nós deve nos dar confiança audaciosa! Lançando o medo para fora!

E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;
E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão.
Hebreus 2:14-15

Um dos efeitos da morte de Cristo foi destruir a escravidão do medo. Não somos escravos do medo! Sejamos audaciosos e confiantes no amor do Pai e enfrentaremos tudo com fé, esperança, alegria e amor! Com Cristo você tem medo de quê?






Raniere Menezes

6.9.14

O AMOR SENTIMENTAL É MENOS IMPORTANTE


O AMOR SENTIMENTAL É MENOS IMPORTANTE

Amor é mais serviço do que sentimento.

O amor cristão não é vítima de nossas emoções, mas servo de nossa vontade.

John R. W. Stott

Poucos dias atrás encontrei um antigo amigo na rua, paramos cinco minutos para colocar o assunto em dia, quando soube que um amigo comum estava debilitado numa cama por consequência da AIDS. Usuário de muitas drogas e viciado em prostituição. Quando soube que essa pessoa estava esquelética numa cama sendo ajudado pela mãe me emocionei e disse que queria visitá-lo e levar o Evangelho para ela. Fiquei realmente triste com a situação, mas na mesma rapidez que conversei com o amigo na rua, logo esqueci. As semanas se passaram e não fui visitá-lo. De que valeu minha emoção? Não fiz nada por ele! Daí nasce outra emoção em mim: indignação comigo mesmo, por ser tão fraco. Se Deus permitir o visito em poucos dias. Se ele ainda não morreu ou perdeu a consciência!

Racionalizar para mim mesmo e dizer que estou ocupado demais para amar o próximo é um pensamento anti-cristão. Me emocionei quando soube da sua situação, mas nem orei por ele no mesmo dia. O amor pleno é prático, não da boca para fora ou de olhos cheio d'água. O sentimento em si não é algo ruim, é bom. Mas o amor não pode se limitar as emoções. O amor é muito mais ação do que emoção. O amor de Cristo nos incomoda e sua providência nos coloca em várias situações para colocarmos o amor em prática, e muitas vezes falhamos nessas provas.

Para terminar, lembro de algo marcante numa dessa lições da providência divina. Estava com meu filho pequeno andando de mãos dadas numa calçada próximo a um shopping, quando encontramos um mendigo sentado na calçada com uma perna expondo um ferimento. Como estava muito perto a minha reação foi afastar meu filho da passagem interrompida pelo homem, foi quando este homem levantou o braço e me mostrou um brinquedo feito de madeira e falou umas palavras. Não entendi o que ele disse e fui passando, quando ele repetiu e entendi: "pegue o brinquedo, é presente para o garoto." Constrangido peguei o presente, agradeci, meu filho agradeceu e fomos para o shopping. Fiquei mal por uns dias pensando naquela cena e nunca mais voltei para fazer algo por este homem. A providência nos coloca em cada uma. E o que mais me incomoda é que joguei o brinquedo de madeira no lixo do shopping por causa dos ferimentos da perna daquele homem. Meu Deus, como somos fracos! Eu ainda pedi a Deus que o abençoasse, mas não dei nenhuma moeda. Que amor é esse? Inútil.

Essa breve reflexão serve de alerta para que eu fique mais atento e que de algum modo ajude outras pessoas que passam pela mesma experiência ao ler esta reflexão. Precisamos amar de fato e não apenas de palavras. Que Deus nos ajude!

Pare para pensar quantas vezes clicamos numa imagem na Internet de crianças famintas ou feridas e sentimos um aperto no coração, mas em poucos segundos já não lembramos mais daquilo. Que amor é esse? Compaixão visual, virtual e mero sentimento vazio, sem obras. Uma coisa é certa, tem muita gente que precisa de nós e podemos fazer algo. Podemos fazer muito com pouco!


Raniere Menezes


31.8.14

Quem se levanta contra Deus e prospera?


A ASSÍRIA foi um reino citado na Bíblia, que hoje é a região do Iraque. Ao longo da história dos impérios a Assíria foi um terrível conquistador. O exército mais violento do Oriente Médio de todos os tempos. Era famoso por sua violência e terror. A história nos apresenta os Assírios como um povo guerreiro e cruel. Eles eram o pavor dos povos do Oriente Antigo. Se os Assírios desejavam entrar para a história como homens mais cruéis conseguiram.

As palavras de um dos reis assírios retratam essa situação: "muitos prisioneiros queimei a fogo, muitos capturei vivos: a uns amputei as mãos e os dedos, a outros cortei o nariz e as orelhas, a muitos vazei os olhos. Fiz um montão de vivos e um montão de cabeças; até as cabeças enfiadas em paus em torno da cidade. Queimei seus filhos e filhas no fogo. Destruí, devastei a cidade, queimei-a no fogo e a arrasei completamente" -- Luiz Alexandre Solano Rossi em seu livro "Como ler o livro de Naum", da Editora Paulus.

Agora, em 2014, surgiu um fantasma semelhante na mesma região, o Estado Islâmico (EI) dos jihadistas que se espalha pela Síria e Iraque com violência extrema. Estão semeando o terror com uma certa liberdade e omissão da comunidade internacional. Até quando???

Estão decapitando pessoas, torturando, destruindo vilas inteiras, fuzilando e fazendo crianças segurarem cabeças cortadas pelas ruas num desfile de terror. Assim como os antigos Assírios, em escala menor, o EI está em marcha.

Há uma passagem bíblica que relata que Deus matou de uma só vez 185 mil guerreiros assírios num acampamento!!! Da noite para o dia, literalmente:

Sucedeu, pois, que naquela mesma noite saiu o anjo do Senhor, e feriu no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil deles; e, levantando-se pela manhã cedo, eis que todos eram cadáveres. 2 Reis 19:35.

Os homens mais poderosos da terra em seu tempo diante do Deus Todo-Poderoso não são nada!

Quem se levanta contra Deus e prospera????

A história prova a firme confiança que temos que ter em Deus. O povo pode ser afligido por um tempo mas Deus não abandona seu povo.

Quantos estão dispostos a confiar na Palavra de Deus???

Deus nos ajude em nossa incredulidade!

A Igreja tem que orar contra esses inimigos do Rei Jesus.

Vamos orar para que Deus traga a morte para os acampamentos dos homens violentos.




30.8.14

A VERDADE QUE SATANÁS ABOMINA


A VERDADE QUE SATANÁS ABOMINA

E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Gênesis 3:15

Satanás odeia toda verdade, mas há uma que ele abomina, não suporta, e sente o peso dessa verdade de modo dramático: SUA CABEÇA ESTÁ ESMAGADA!

Alguns dizem que o Deus do Antigo Testamento é diferente do Novo Testamento, que era um Deus irado, vingativo, amaldiçoador, mas a verdade é que Deus é imutável e o mesmo Deus de Gênesis. E exatamente por sua maravilhosa imutabilidade podemos confiar plenamente em suas palavras. Estaríamos perdidos se não fosse sempre o mesmo Deus.

Em Genesis 3.15 há algo que comprova que Deus é o mesmo hoje e sempre, pois se não fosse, Satanás aumentaria terrivelmente sua influência corruptiva e destruidora. Não há dualismo, não há quebra de braço entre dois deuses, não há uma grande batalha do bem contra o mal com forças equivalentes. Não há maniqueísmo. A figura de Satanás é de uma serpente com a cabeça esmagada.

O diabo está condenado e amaldiçoado pelo Deus do Antigo Testamento, e se o Deus do Novo Testamento mudasse, a corrupção suplantaria a graça. Genesis 3.15 demonstra a graça do Redentor, que é o Cabeça da Igreja e esmaga a cabeça da serpente, que é o diabo (cf. Ap 12.9). Cristo é o Libertador do homem caído pela tentação do Inimigo.

A Queda dos nossos primeiros pais abriu uma ferida que logo foi dado o remédio, que nos foi revelado: a graça do Salvador que traz perdão pela fé nEle, fé em sua encarnação. -- Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? 1 João 5:5-6. -- E todos, antes e depois do dilúvio que creram nessa promessa foram justificados e salvos. O Salvador é a semente da mulher, seu sofrimento (e morte) é a "ferida no calcanhar", sua natureza humana foi ferida. E este mesmo sofrimento é repassado para muitos dos seus santos, em seu nome.

O diabo nos tenta, persegue e até nos mata. E assim o calcanhar continua ferido. PALAVRA do Deus imutável do Antigo Testamento e válida para o Novo Testamento e para nós. Mas enquanto o calcanhar é ferido na terra, a cabeça está no céu. A vitória sobre Satanás está decretada pelo Deus que não pode mudar. Se negarmos o Deus do Antigo Testamento negamos a fé.

A morte de Cristo, o calcanhar ferido, foi ao mesmo tempo o golpe fatal no reino do inimigo, a ferida na cabeça da serpente é mortal, não pode ser curada. Por mais que ainda haja inimizade entre a serpente e a humanidade, as obras do diabo são destruídas por Cristo. -- Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. 1 João 3:8.

O poder da mordida da serpente no calcanhar é limitado, o mal não pode avançar nem prevalecer. A verdade é esta:

E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo. Colossenses 2:15.

Podemos dizer que nossos primeiros pais até possuíam uma certa simpatia pela serpente antes da Queda, mas agora são inimigos declarados e a mulher deu a descendência do Esmagador da serpente. Essa guerra é irreconciliável e é uma verdade aplicada a Igreja em todos os tempos, uma guerra entre a  semente da mulher e a semente da serpente. Não é a toa que chamamos os homens maus de serpentes. Jesus chamava os religiosos inimigos da verdade de SERPENTES e RAÇA DE VÍBORAS. Confira em Mateus 23.33.

Satanás, seus anjos e os homens maus perseguem o povo de Deus, perseguem com ódio, mas a sua cabeça está ferida e esmagada. Os planos de Satanás estão arruinados, em todas as suas obras, seu império está esmagado, sua autoridade despojada, seu poder sobre a morte, nulo. O veneno da serpente está na cabeça e o ferimento que Cristo causou na serpente é fatal. A sua desgraça é total.

Esse ato é continuo e válido para hoje, para agora mesmo, como escreveu Paulo em Romanos:

E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém. Romanos 16:20.

Quando você que crê em JESUS CRISTO se encontra desencorajado por causa de tentações ou perseguições, lembre-se que você é um bem-aventurado por participar das "feridas" do calcanhar, mas lembre-se e guarde em seu coração que os escolhidos em Cristo são mais que vencedores. Já vencemos! Não desanime! Avance com Cristo!


Raniere Menezes


24.8.14

NÃO É A LETRA QUE MATA! CUIDADO COM O ATIVISMO NA IGREJA


NÃO É A LETRA QUE MATA!
CUIDADO COM O ATIVISMO NA IGREJA

E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte...
Lucas 10:41-42

Antes da minha conversão levava uma vida como aquela música cantada pelas crianças:  "Havia um homenzinho torto, que morava numa casa torta, andava num caminho torto, sua vida era torta..."

E esse menino era bem torto mesmo, envolvido com drogas, com amizades ímpias, com ocultismo, queimava bíblia, cuspia em crucifixo e outras bobagens da cegueira infantil e tola. Ser cristão era a última coisa dessa vida ou NUNCA, pensava. Mas quando encontrei o profeta Isaías pregando para mim com aquelas letras pequenas de uma bíblia velha sobre o MESSIAS, entendi, acreditei e o adorei. E mais páginas a frente do profeta Isaías li o próprio Messias falar: "Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos". Lucas 10:3

Fui convertido por Cristo entre 1997-98, um período que tive meus primeiros contatos reais com a Palavra de Deus e com Deus, antes disso era somente leitura de curioso. Após o chamado enfrentei grandes problemas para romper com os antigos laços com as trevas. Ganhei muitos inimigos e encontrei muita desconfiança dentro da minha família e por parte de alguns irmãos da igreja. Essas coisas ainda continuam acontecendo.

Nos primeiros anos, que  alguns chamam de "primeiro amor", queria me envolver com todas as atividades da igreja, queria bater o escanteio e correr para cabecear e ainda pegar no gol. Tudo ao mesmo tempo agora. Me esforçava para ajudar em vários projetos sociais, missionários, discipuladores e outros.

As mudanças eram radicais e aconteciam todos os dias. Evangelizei pessoas marginalizadas pela sociedade como ex-presidiários, usuários de drogas e outros. Evangelizava nas ruas e em clínicas de recuperação. Falar e ouvir sobre missões me fazia tremer e me emocionar. A única coisa que me fazia chorar e ainda faz.

Isso tudo que estou narrando pode ser compactado num só período de um ano, e neste mesmo ano participei de um projeto missionário de campo no sertão do Nordeste juntamente com dezenas de missionários por 30 dias aproximadamente. Uma experiência impactante que guardo até hoje com carinho.

Mas isso tudo estava acontecendo e havia esquecido de algo muito importante, que eu era um novo convertido, um neófito. Não iria me manter em pé por muito tempo nesse ritmo.

E esse ativismo, essa aceleração de um crescimento que deve ser orgânico e natural se converteu em pressa e posterior esfriamento, desvio e queda. Em minha queda voltei a lama em forma de uso de drogas e reencontros com pessoas sombrias. O simples detalhar é motivo de vergonha e desonra, não se faz necessário aqui. Posso resumir que caí em graves pecados, mas não continuei neles por muito tempo.

O que aprendi com a queda?

1. Que uma vez comprado e selado pelo Espírito Santo não podia decair do estado de graça totalmente;

2. que mesmo em pecado o Espírito Santo não deixava de me incomodar e perseverar em mim, ele é especialista em ferir nossa consciência;

3.  que a força da corrupção das tentações do mundo e do inimigo prevaleceram porque negligenciei os meios da graça.

No ativismo não nos preocupamos com os momentos a sós com Deus, com a vida devocional, com o descanso em pastos verdejantes e águas calmas, o ritmo acelerado sufoca tudo, perdemos a paz santificadora e o pior, achamos que está tudo bem, pois estamos trabalhando na obra do Senhor. Não percebia que o ativismo destrói a comunhão com Deus, e quanto mais rápido queremos andar, mas permanecemos no mesmo lugar, como correr numa esteira.

O nosso espírito necessita de quietude, de adoração, muita atividade sem a maturidade certa para suportar o ritmo, ou melhor, para equilibrar o ritmo, é algo que nos leva a negligenciar o Espírito Santo. Isso não significa que é para levar uma vida de pura contemplação a ponto de esquecer das obras que as virtudes cristãs exigem, mas que também não se caia num ativismo que deixa de lado a vida devocional com Deus. E devocional não se trata de oração de um minuto antes de dormir.

O equilíbrio é fundamental e não é fácil manter-se no centro aos pés da cruz. Sentia nesse ativismo que é algo empolgante, mas era apenas uma correria vã. Esqueci que muitas vezes Cristo nos quer apenas quieto como Maria sentada aos seus pés, ouvindo sua palavra e não a correria de Marta, em pé e ativa, mas longe da comunhão íntima com o salvador. Muita movimentação não significa que as coisas estão bem dentro de nós. Muitos de nós se escondem atrás de uma capa de ativismo.

Aprendi uma verdade dura, é possível ser ativo no Reino e ao mesmo tempo negligenciar a comunhão devocional com Cristo. Não que seja errado se esforçar pelo Reino, não é isso! mas corremos o perigo de querer pescar demais sem se preocupar com a manutenção da rede. É algo louco de dizer, mas parece que quanto mais atividades (desequilibradas) para Deus, mais distantes ficamos dEle.

Quando Jesus andava no meio daquelas multidões relatadas no NT, se eu fosse uma pessoa da multidão que passasse a cavalo, rápido, por ele, eu não o veria como os outros que andavam lado a lado, ouvindo a sua voz e sua risada.

O ativismo é um dos maiores perigos da vida espiritual, muitos dos antigos cristão já alertaram sobre isso. Uma vida com muitas atividades na igreja pode esconder uma vida seca, sem plena comunhão com Cristo. Necessitamos equilibrar zelo e conhecimento. J. C. Ryle dizia que: "Estar sempre pregando, ensinando, falando, escrevendo e realizando obras em público é inquestionavelmente um sinal de zelo. Mas não é sinal de zelo segundo o conhecimento".

Cuidado, não desperdice sua vida espiritual. Passei meses desviado e não queria saber mais de igreja nem das coisas de Cristo, mas após um breve desvio reencontrei o silêncio para ouvir a voz do Senhor que me fez superar todas as angústias e me fez desejar ficar em pé e correr quando necessário e sentar e ficar quieto também.

Um dia o homenzinho torto a Bíblia encontrou e tudo que era torto Jesus endireitou e continua a endireitar.

Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia. 1 Coríntios 10:12



 Raniere Menezes

15.8.14

A pregação do Evangelho é apenas a semeadura


É uma visão agradável ver os milhares reunidos para o culto a Deus, mas é lamentável  refletir quantas vezes a reverência que é exibida no santuário é perdida quando o início é  passado. Com que frequência o discurso mais sério do pregador é esquecido e torna-se  como “a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada”. Nós muito frequentemente  vamos até a Casa de Deus e imaginamos que fizemos o nosso dever quando já  passamos pela rodada do serviço – autosatisfeitos, nós voltamos cada um para sua casa. Oh que lembrássemos que a pregação do Evangelho é apenas a semeadura! A colheita  deve vir depois. Hoje nós, por assim dizer, lançamos a primeira pedra de um edifício. E  daí em diante esse edifício deve ser construído, pedra por pedra, através de sua prática  diária, até que finalmente a pedra de topo seja trazida com brados de alegria e júbilo. Bem  disse a mulher Escocesa, quando o marido perguntou-lhe, em seu retorno da Casa de  Deus, mais cedo do que o habitual: “Esposa, o sermão todo já finalizou?” “Não, Donald”,  disse ela. “Foi todo dito, mas não começou a ser praticado”. Havia sabedoria em sua fala concisa – uma sabedoria que nós também frequentemente esquecemos.

Trecho do Sermão Nº 238 (Reforma) - C. H Spurgeon.

8.8.14

15 Frases Matadoras de Richard Baxter


A morte perde metade de suas armas quando negamos em primeiro lugar os prazeres e interesses da carne.

Mate o pecado antes que ele o mate.

A cruz precisa ser carregada; não temos liberdade de passar por cima dela ou de evitá-la.

O céu pagará qualquer prejuízo que possamos sofrer para ganhá-lo; mas nada pode pagar o prejuízo de perdê-lo.

Em nada, a não ser no céu, vale a pena colocar nosso coração.

A ignorância é sua enfermidade; o conhecimento deve ser sua cura.

Cuide para que o dia do Senhor seja usado em santa preparação para a eternidade.

Rejeitar o estudo sob o pretexto da suficiência do Espírito é rejeitar a própria Escritura.

Tocamos em poucas coisas, mas deixamos sempre as impressões digitais.

Somos as maiores armadilhas para nós mesmos.

Esta vida não foi feita para ser o lugar de nossa perfeição, mas de nossa preparação para ela.

Se conseguirmos pregar somente Cristo para nosso povo, teremos pregado tudo a eles.

Não gaste seu tempo em nada de que venha a se arrepender mais tarde; em nada acerca de que não possa orar pedindo a bênção de Deus; em nada que você não consiga recordar com uma consciência tranquila em seu leito de morte; em nada em que você não possa ser encontrado a fazer, com toda segurança e propriedade, se a morte o surpreender no ato.

As famílias cristãs devem ser as principais preservadoras do interesse pela verdadeira religião neste mundo.

Em nosso primeiro paraíso, o Éden, havia um caminho de saída, mas não havia forma de entrar de novo. Mas, quanto ao paraíso celestial, há um caminho de entrada, mas não há forma de sair de novo.

Richard Baxter

28.7.14

Curso de Teologia Fé Reformada - FAÇA SUA INSCRIÇÃO

Curso de Teologia Fé Reformada - FAÇA SUA INSCRIÇÃO: cursofereformada.com.br