27.4.15

Salmo 126 - GRANDE ALEGRIA PELO LIVRAMENTO E ESPERANÇA PELA COLHEITA


Salmo 126 - GRANDE ALEGRIA PELO LIVRAMENTO E ESPERANÇA PELA COLHEITA

Autoria desconhecida, pode ter sido um levita ou profeta.

O Salmo foi composto durante o regresso do povo hebreu do cativeiro babilônico.

A profecia de Jeremias, que designara setenta anos para o fim do cativeiro, realmente se cumprira [Jr 25.12e 29.10]. Deus não esquece suas promessas!

ESTÁ DIVIDIDO EM 3 PARTES:

PARTE 1. O salmista exorta o povo que havia regressado do cativeiro à gratidão e louva de modo sublime a graça do livramento. Estavam voltando para sua pátria pela mão de Deus e não por qualquer favor dos homens ou por acaso ou sorte.

PARTE 2. O salmista faz uma oração para que Deus aperfeiçoe a obra que Ele mesmo havia começado.

PARTE 3. O salmista fortalece sua esperança que haverá restauração plena e total mas sabe que não é algo imediato, essa possível demora pode lhe trazer fadiga mas a sua esperança é que embora a semente fosse regada com lágrimas a colheita será com grande alegria.

É um salmo que não deixa lugar para a ingratidão, porque sem dúvida foi obra de Deus.

O profeta estava exortando os fiéis à paciência quanto ao futuro.

Por isso, o profeta, não sem razão, os exorta a labutarem diligentemente e a perseverarem em meio às contínuas dificuldades, sem esmorecerem, até que estivessem em circunstâncias mais favoráveis.

Nossa vida é comparada ao período de semeadura. E, visto que, frequentemente, acontece que temos de semear em meio às lágrimas devemos elevar nossa mente à esperança da colheita, para que a tristeza não enfraqueça ou afrouxe nossa diligência.

Aprendamos a aplicar nossa mente à contemplação do resultado que Deus promete. Assim, perceberemos que todos os crentes têm um interesse comum nesta profecia de que Deus não só enxugará as lágrimas dos olhos deles, mas também difundirá júbilo indizível no coração deles.

Outras aplicações finais:

Deus dá livramento para sua igreja para que possamos nos alegrar nele. O grande livramento nos deixa como quem sonha um sonho bom e não queremos ser acordados!

A redenção em Cristo nos livra da ira, nos livra da escravidão do pecado e da escravidão a satanás!



Raniere Menezes

***

Referência:

João Calvino

11.4.15

SALMO 21 - Rei Vitorioso


Este Salmo 21 é uma ação de graças solene e pública pela grande alegria do rei Davi. É muito parecido com o tema do Salmo 20.

O rei Davi se alegrou na força do Senhor, e grande foi a sua alegria com as vitórias que o Senhor deu a ele. "Grandemente se regozija", ele se alegrou como quem grita de alegria.

Este é um salmo de triunfo, uma vitória que veio através da oração. (Verso 2)

O salmo 21 tem uma divisão temática clara. Dos versos de 1 a 7 temos a ESSÊNCIA do reino, sua felicidade interior, do verso 8 ao 13, temos sua AÇÃO, sua força contra seus inimigos.

O propósito do Espírito Santo aqui no salmo 21 é dirigir a mente do crente para Cristo, o Rei dos reis. E para a perfeição do reino de Cristo.

Davi poderia ter rendido graças a Deus em particular, de modo discreto, mas era sua intenção enfatizar que Deus o colocara no trono e que todas as bênçãos que Deus lhe deu abençoavam o seu povo também, os súditos de Davi.

Deus ouvia as orações de Davi e lhe concedia o que desejava. Do mesmo modo, Deus não rejeita as nossas orações visto que o próprio Cristo intercede por nós.

É um salmo que fala sobre o rei Davi mas aponta para a o Rei Jesus, Rei de sua linhagem, o Rei Eterno e imortal.

A confiança dos súditos de Davi estava em saber que Davi servia um Rei maior. A nossa esperança e confiança estão no Rei, e o Rei Jesus colocou sua dependência em Deus, totalmente. -- Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. João 6:38

Dos versos de 1 ao 7 do Salmo 21 retratam a paz e alegria excelentes, e essas coisas excelentes são garantidas e fortificadas contra os ataques dos inimigos, que estão demonstradas a partir do verso 8.

Os inimigos de Cristos não desistem da malícia e desejo de fazer o mal, por isso nos gloriamos no Senhor que é um Rei que nos protege, que coloca sua mão como um escudo diante de nós para nos defender. A tua mão alcançará todos os teus inimigos, a tua mão direita alcançará aqueles que te odeiam (v.8)

O verso 9 fala da VINGANÇA do Senhor contra seus inimigos:
Tu os farás como um forno de fogo no tempo da tua ira; o Senhor os devorará na sua indignação, e o fogo os consumirá.
Salmos 21:9-10

O juízo foi confiado a Cristo, Ele que lança seus inimigos no fogo eterno. A nós cabe nos humilhar debaixo de sua poderosa mão e cruz. Ter paciência e confiança que um dia Cristo punirá a todos os seus inimigos.

V.10. Destruirá da terra seu fruto, é uma amplificação da grandeza da ira de Deus que se estenderá até mesmo aos filhos e netos dos inimigos de Cristo.

Dos versos 11 ao 13 Davi dá a razão da ira de Deus sobre o que fazem guerra contra Ele.

Deus apontará suas armas contra eles mesmos. Ao crente cabe a paciência para esperar que Deus em tempo oportuno conduza seus inimigos ao extermínio.

No verso 13 o salmo é concluído como uma oração:
Exalta-te, Senhor, na tua força.
Salmos 21:13

O salmo termina com oração e louvor pela grandeza desse Rei, que é o terror para o perverso e doce consolação para os seus, isso deve inspirar gratidão e louvor em nós e que celebremos com cânticos de louvor e com ações de graça sua grande graça.

APLICAÇÃO:

Feliz a nação ou o individuo que confia na força do Senhor, que confia em Deus para apoiá-lo. Todas as nossas bênçãos são bênçãos de Deus, não por qualquer mérito nosso, mas apenas pela bondade divina.

Quando as bênçãos chegam mais cedo ou de surpresa, e quando se temia o contrário, a alegria é grande! 

Cristo, o rei, o maior exemplo (Davi é uma figura desse rei) se fortaleceu em Deus Pai, resistiu as tentações e pecados, manteve os seus em segurança até o fim, apoiou os seus em todas as tribulações e concluiu o trabalho nas almas até o fim, essa foi a alegria de Cristo, e nesta salvação se alegrou grandemente.

V. 3. Bênçãos de bondade. -- é um pleonasmo, uma figura de estilo, uma ênfase, pois uma benção é um ato de bondade.

O coroamento do verso 3 é referente a Cristo. Sua vitória sobre todos os seus inimigos, o pecado, satanás e do mundo, a morte e o inferno. E por sua graça Ele compartilha essa vitória com os seus. -- Efésios 1: 3, Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado.

Grande é a sua glória pela tua salvação; glória e majestade puseste sobre ele. Pois o abençoaste para sempre; tu o enches de gozo com a tua face. Salmos 21:5-6

O salmista ensina a olhar para a frente com fé e esperança.

Deus abençoou tanto a Davi derrubando todos os seus inimigos, que Davi tipifica Cristo nas vitórias sobre os inimigos.

Aquele que se achega perto de Cristo como Senhor e salvador e o rejeita e luta contra ele, deve trazer a memória somente a figura do verme que nunca morre.
Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade. Romanos 11.22. – DEVEMOS CONSIDERAR EM TODO TEMPO A BONDADE E A SEVERIDADE DE DEUS.

Quão grande deve ser a nossa alegria em contemplar o Cristo vitorioso que vence todos os seus inimigos. Um Deus que é BONDOSO para conosco e SEVERO para com seus inimigos.

Deus favoreceu Davi por causa dessa confiança!
Porque o rei confia no Senhor, e pela misericórdia do Altíssimo nunca vacilará. Salmos 21:7

É um salmo sobre confiança e vitória. Confiemos em Deus! Cantemos louvores!


Por Raniere Menezes

***

Referência:

João Calvino
Matthew Henry

31.3.15

Canal no You Tube sobre doutrinas protestantes reformadas


Até agora temos estudado o início do BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER e AS DOUTRINAS REFORMADAS ESSENCIAIS, são estudos rápidos e super compactados! Inscreva-se em nosso canal para receber os novos estudos!

Nosso canal no You Tube chegou aos 20 vídeos e agradeço a todos que têm acompanhado até aqui!

LINK:

https://www.youtube.com/channel/UCI_Ff2-4pJi3ZSqjK8-heVw

17.3.15

O LIMITE CRISTÃO DA OBRIGAÇÃO DE OBEDIÊNCIA


O LIMITE CRISTÃO DA OBRIGAÇÃO DE OBEDIÊNCIA

"Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus". Atos 4:19

"É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!” Atos 5:29

“Quando um governo civil torna-se tão radical e incuravelmente corrupto. Quando todos os meios de reparação tiverem sido exaustivamente sem validade, quando ali parecer não haver mais nenhum prospecto de assegurar reforma do próprio governo, e houver alguma boa perspectiva de garanti-la através de revolução, então é privilégio e dever de um povo cristão mudar seu governo - pacificamente, se possível; forçosamente, se preciso”. -- A. A. Hodge, comentário da Confissão de Fé de Westminster, Cap 23, Do Magistrado Civil.


Todo governo corrupto toma todas as medidas para que os ensinamentos de Cristo não se espalhem, porque os ensinos testificam contra a hipocrisia, maldade e tirania do governo corrupto. Os cristãos devem desprezar as ameaças do sistema mundano, ninguém pode servir a dois senhores. Os cristãos devem ter ousadia e coragem para falar sem qualquer medo do homem, mas devem temer a Deus somente. Deus não é contra que os governantes devam ser obedecidos, mas não mais do que a Deus. Toda honra e toda glória devem ser dadas a vontade de Deus. O próprio Cristo destruirá aqueles que não querem que ele reine sobre suas vontades. Obedecer a Deus é a regra de ouro para todos os homens, em todas as circunstancias e em todo tempo. Homens, magistrados, governos devem ser obedecidos enquanto não ferem a vontade de Deus.

2.2.15

ADVERTÊNCIA: A INCONVENIÊNCIA E PERIGO DO CARNAVAL PARA OS CRISTÃOS

ADVERTÊNCIA: A INCONVENIÊNCIA E PERIGO DO CARNAVAL PARA OS CRISTÃOS

Algo está MUITO errado quando a igreja discute se pode ou não pode brincar o Carnaval!

O que antes era um assunto que ninguém nem discutia, hoje se defende.

É triste, mas tem que ser dito:

É uma grande inconveniência os crentes participarem da festa do Carnaval, é um atentado à decência e à moral.

O Carnaval estimula a sensualidade, com prejuízo moral e físico.

O Carnaval é um mal que ameaça a Causa do Reino de Cristo no Brasil.

Destacam-se:

1. Aberrações do feminismo que desnaturam a mulher;

2. Exageros da moda que atentam contra a pureza e a santidade da mulher cristã;

3. Dança promiscua;

4. Amor livre;

5. Linguagem imoral;

6. Alcoolismo e drogas;

7. Festividade mundana;

8. Profanação do Dia do Senhor.

Que a Igrejas em nome da Verdadeira e santa disciplina não aceitem profissão de fé de pessoas que brincam o Carnaval. O Supremo Conselho da IPB aplaude e apoia calorosamente os Conselhos que assim procederem.

Participar da festa de Carnaval contribui para a deterioração da pessoa humana, cristã ou não.

É dever das igrejas lutar por todos os meios e modos, continuamente contra vícios.

Diga não ao Carnaval!

***

Texto adaptado e baseado numa postagem do Rev Ageu Magalhaes, originalmente postado no Facebook.

11.1.15

O MUNDO É DOS FIÉIS A CRISTO

O MUNDO É DOS FIÉIS A CRISTO
Jo 1.10, Cl 1.16, Hb 2.8; 11.3, Ap 2.26, Jr 12.17, Sl 22.27, 72.8.

Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. (1 Co 15:27)

A supremacia do Filho comprova isto! O Reino de Cristo é estabelecido sob decreto eterno de Deus Pai. -- O Pai ama o Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos. (Jo 3:35) --. Jesus Cristo arrasta multidões de discípulos pelos séculos e milênios e faz através do seu amor e disciplina que seus seguidores sejam leais. Os fiéis são posse do Senhor Jesus. Os confins da terra pertencem aos fiéis em Cristo, porção dEle. A Igreja é a sua joia e menina dos seus olhos. A amplitude do Reino de Cristo será em toda terra, de mar a mar até os confins. Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão. (Sl 2:8).

Sabe o que isto significa na prática? Que os rebeldes serão derrubados! Esta é a nossa esperança! Pode demorar séculos, não importa, Deus é eterno, tem tempo para derrubar todos os seus inimigos! O principado está sobre os seus ombros! Jesus Cristo é o Senhor de todos! Senhor de mortos e de vivos! (cf. Atos 10.36, Romanos 14.9).

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. (Isaías 9:6).

Jesus como Filho do Homem recebeu toda supremacia e autoridade do Pai, nada pode ser tirado dEle nem acrescentado a Ele sem sua vontade! Ele se levantou vitorioso da sepultura! Ele reina para sempre e sempre! A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. (Hb 1:2).

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. (Mt 28:18-20).


Esta é a nossa força e esperança, não permita que a névoa das circunstâncias roube esta verdade maravilhosa!

1.1.15

ONDE ESTÁ O MAIOR TESOURO DA SABEDORIA?


ONDE ESTÁ O MAIOR TESOURO DA SABEDORIA?

Os sábios são envergonhados, espantados e presos; eis que rejeitaram a palavra do Senhor; que sabedoria, pois, têm eles? Jeremias 8:9

O que trouxe a ruína para essas pessoas? Essas pessoas aqui relatadas em Jeremias eram sábias, conhecedoras da sabedoria de Deus e do caminho que conduz à vida, por razão de confiarem em sua própria sabedoria retrocederam do caminho do Senhor.

Deus não deixa de incomodar a consciência do seu povo e também envia sua Palavra através dos seus profetas para que não se afaste dEle. Deus sempre leva os seus a reconhecerem seus erros e se arrependerem. Mas pode chegar um ponto no qual o pecador não se corrige nem atende mais a voz de Deus. E muitos fazem isso colocando seus pensamentos acima dos pensamentos de Deus, uma terrível armadilha para si mesmo. Uma grande tolice.

Muitos se orgulham do seu conhecimento religioso e acrescentam suas próprias ideias que não tem nada de ensino do Espírito Santo, suas ideias servem de guia para sua suposta sabedoria. Não respeitam a Palavra revelada, e muitos tem abundância de meios da graça, bíblias, excelentes exposições bíblicas e ministros, mas ainda acham pouco, querem mais. E inventam suas interpretações.

Os sábios confrontados pelo profeta Jeremias eram sacerdotes e os falsos profetas! Não era o povo comum, embora este não fosse inocente. O que fazem os falsos profetas? Bajulam e acariciam os pecadores, lisonjeando de modo tolo para a destruição, dizendo que vai tudo bem, quando não vai. Mestres egoístas que prometem paz quando não há paz.

E assim esses supostos sábios incentivam uns aos outros a cometerem o mal. Mas no dia do juízo não receberão misericórdia, serão envergonhados, certamente serão envergonhados. E por quê? Porque não alertam o povo sobre os juízos de Deus sobre aqueles que se desviam! Pregam a paz, mas não há paz!

Quem são os falsos profetas de hoje? São esses que vivem dizendo e pedindo AMÉM, por toda e qualquer ideia não bíblica ou biblicamente distorcida. São os que menosprezam a disciplina para não criar atrito com os pecadores! Que estão mais preocupados em agradar a igreja, quando deveriam agradar o Senhor.

Que sabedoria é essa? A sabedoria que se orgulham e que traz lucro se tornará em armadilha e calamidade. Deus os pegará em suas próprias astúcias, pois rejeitaram a sabedoria do Senhor.

A verdade foi desprezada, que sabedoria é essa!? Eis que rejeitaram a palavra do Senhor; que sabedoria, pois, têm eles?

A Palavra de Deus é a única fonte verdadeira de sabedoria. Não acariciem pecadores! A verdadeira sabedoria não agrada a homens, mas a Deus.




Raniere Menezes



29.12.14

BALANÇO DA VIDA: 22 PERGUNTAS QUE VOCÊ DEVE RESPONDER



BALANÇO DA VIDA: 22 PERGUNTAS QUE VOCÊ DEVE RESPONDER

Ao começar um novo ano convém fazer um balanço na presença do SENHOR.

Procure responder as seguintes perguntas:

1. Quanto devo ao meu Senhor?

2. Tenho contribuído com a Igreja na proporção das bênçãos que Deus tem me dado?

3. Concorri para que alguém se aproximasse de Cristo em 2014?

4. Que fiz em favor dos irmãos no ano que passou?

5. Colhi frutos de leituras bíblicas em 2014?

6. Que aprendi de novo em 2014 para melhorar minha vida espiritual?

7. Estive em 2014 atento e vigilante esperando a volta de Cristo Jesus?

8. Cuidei da minha saúde física e espiritual?

9. Fiquei com alguma obrigação que não cumpri, por esquecimento ou descuido?

10. Que tipo de religião cultivei em meu coração em 2014?

11. Visitei crentes e não crentes e orei com eles e por eles?

12. Promovi reconciliação e paz nos lares de pessoas que estão se afastando da fé?

13. Induzir pessoas a lerem a Bíblia?

14. Realizei culto doméstico?

15. Quantas pessoas evangelizei pessoalmente?

16. Quantas Bíblias partilhei?

17. Quantos folhetos entreguei?

18. Quantos livros presenteei?

19. Cooperei com a Igreja?

20. Visitei algum asilo, hospital, prisão ou orfanato?

21. Visitei algum enfermo?

22. Ajudei alguém necessitado?

Medite nestas coisas!

Vamos trabalhar, pois somos servos do Grande Senhor!

Gaste e se gaste, invista na obra do Senhor, faça a obra do Senhor enquanto pode fazer, a noite vem quando ninguém pode trabalhar.

Tudo que fizer faça para a glória do Senhor da Seara.

Apontamentos pessoais (escritos de 1974, aqui adaptados com outros apontamentos pessoais) do saudoso Presbítero Carlindo de Lima, da Primeira Igreja Presbiteriana em Caruaru. Descansou no Senhor neste ano de 2014.

28.12.14

Filme Exodus: Deuses e Reis, de Ridley Scott



Filme Exodus: Deuses e Reis, de Ridley Scott

O filme não é sobre o Moisés bíblico nem o Êxodo judaico, mas é sobre como pensa o cineasta Ridley Scott. O filme não tem a cosmovisão bíblica. Ridley Scott é sem dúvida um grande mestre das artes visuais, basta lembrar do filme Gladiador em 2000. E os efeitos do seu atual filme são dignos do orçamento de milhões de dólares, um show a parte.

Scott já havia dito a imprensa americana que não seria ortodoxo em fazer um filme bíblico. E realmente ninguém deve esperar isso, deve-se esperar apenas uma aventura épica. Ao estilo do clássico Odisseia ou Gladiador. É uma aventura que retrata seu herói desejando voltar para casa.

Contudo, colocar o Deus de Moisés como uma criança não parece ser muito respeitoso. Com certeza ele não colocaria o deus de Maomé dessa forma, pois ele teria que mudar seu estúdio para a lua. Se você não se importa como o seu deus é tratado que deus é o seu? Não adianta ninguém dizer que “é só um filme” e que não deve ser tão criticado. Mas não é qualquer filme, é um filme que distorce um livro sagrado.  E merece ser colocado em seu devido lugar.

O cineasta se define como um AGNÓSTICO (uma forma de ateísmo sofisticado). Mas nega que tenha colocado sua lente para criar o personagem Moisés. Ele disse que apenas se colocou no lugar de Moisés. Quem acredita? (rs) O Moisés do filme é o espelho do diretor. Segue uma lista de ALGUNS aspectos da lente do cineasta Ridley Scott:

1. Deus é figurado como uma criança birrenta e temperamental (um tipo de Ben 10). Uma forma de ridicularizar Deus.

2. Moisés é retratado como um homem frio, bárbaro e esquizofrênico.

3. Moisés é pintado como um líder terrorista contra o Império Egípcio. 
Tendência anti-israelense de esquerda dos cineastas de Hollywood? 
(Paradoxalmente o diretor é acusado de sionista pelos egípcios).

4. Biblicamente, Moisés não era um general a serviço do Egito, acho que essa ideia de general veio do filme Gladiador.

5. Faraó amava mais Moisés, como filho adotivo, do que a seu filho verdadeiro, Ramsés. Esta ideia derivou do filme o Gladiador? 

6. Deus é apenas uma metáfora e os milagres ganham explicações naturalistas. A Bíblia não negocia as passagens sobre milagres.

7. O Mar Vermelho não abre, acontece um efeito tsunami ou maré baixa.

8. A Lei de Deus foi gravada por Moisés, enquanto a Bíblia diz que foi escrita pelo dedo de Deus.

9. O roteiro é tendencioso ao humanismo secular, ao ateísmo e agnosticismo.




Raniere Menezes





26.12.14

MELHORES LIVROS DE 2014

TOP 10 DA EDITORA MONERGISMO

1. Sal da terra em terras dos brasis (Wadislau Martins Gomes).
2. Prática de aconselhamento redentivo (Wadislau Martins Gomes).
3. Deleitando-se na trindade (Michael Reeves).
4. Quem controla a escola governa o mundo (Gary DeMar).
5. As agridoces cadeias da graça (Wadislau Martins Gomes).
6. Teu é o Reino: um estudo da esperança pós-milenarista (Kenneth L. Gentry Jr.)
7. Gênesis no espaço-tempo (Francis A. Schaeffer).
8. Filosofia: um guia para estudantes (David K. Naugle)
9. Cartas a um jovem calvinista (James K. A. Smith).
10. Guerra de cosmovisões (Jason Lisle e outros).

Os livros abaixo também merecem menção:

11. O resgate da fé cristã (Carl F. H. Henry)
12. O presbiterianismo brasileiro (Émile Léonard)


 Melhores livros de 2014 (outras editoras)

1. A doutrina de Deus (John Frame). Editora Cultura Cristã.
2. A igreja de Cristo (James Bannerman). Editora Os Puritanos.
3. Igreja centrada (Timothy Keller). Editora Vida Nova.
4. Você se torna aquilo que adora (G. K. Beale). Editora Vida Nova.
5. Comentário do uso do Antigo Testamento no Novo Testamento (G. K. Beale e D. A. Carson, organizadores). Editora Vida Nova.
5. Política segundo a Bíblia (Wayne Grudem). Editora Vida Nova.
6. Pai Filho e Espírito: a Trindade e o evangelho de João (Andreas J. Köstenberger).
7. Levando Deus a sério (Kevin DeYoung). Editora Fiel.
8. Espiritualidade reformada (Joel Beeke). Editora Fiel.
9. A vida de Martyn Lloyd-Jones (Iain H. Murray). Editora PES.
10. Estado e soberania (Herman Dooyeweerd). Editora Vida Nova.

Os livros abaixo também merecem menção:

11. O conhecimento de Deus (Alvin Plantinga e Michael Tooley). Editora Vida Nova.
12. O homem bíblico (Stuart Scott). Editora Nutra.Melhores livros de 2014 (inglês)

EM INGLÊS:

1. Systematic Theology (Volume 2): The Beauty of Christ: a Trinitarian Vision
(Douglas F. Kelly). Mentor.
2. Prayer: Experiencing Awe and Intimacy with God (Timothy Keller). Dutton
Adult.
3. The Theology of the Westminster Standards (J. V. Fesko). Crossway.
4. A Transforming Vision: The Lord's Prayer as a Lens for Life (William Edgar).
Christian Focus.
5. Redeeming Philosophy (Vern S. Poythress). Crossway.
6. Chance and the Sovereignty of God (Vern S. Poythress). Crossway.
7. Westminster Systematics (Douglas Wilson). Canon Press.
8. God Dwells Among Us (G. K. Beale). IVP.
9. The Trinitarian Devotion of John Owen (Sinclair Ferguson). Reformation
Trust Publishing.
10. What's Your Worldview? (James N. Anderson). Crossway.

Os livros abaixo também merecem menção:

11. Hidden But Now Revealed (G. K. Beale). IVP.
12. Christ Our Life (Michael Reeves). Paternoster.

Esta lista foi formulada pelo editor do site Monergismo, Felipe Sabino.